Arquivo para Prolixidade

O Universo é um supositório…

Posted in Divagação/Filosofia, Humor/Nonsense/Coisa Inútil, Prolixidade, Tudo, Universo with tags , , , , on 02/06/2009 by reticencioso

Na dispersão sistemática da expansão cósmica do agigantado conglomerado das básicas partículas fundamentais que deu seguimento ao turbilhão de poeira cósmica precedendo todos os capítulos dos tempos que percorreram a história do Universo até o presente momento, fica cada vez mais evidentemente claro, grandiosamente nítido, e de fato, supimpamente legal, de que nada podemos concluir de tudo isso…

Sendo assim, pronuncio agora uma sábia frase de um sábio conhecido, que mesmo nas horas difíceis, onde sua pessoa pode encontrar-se no momento da mais calamitosa neura, diz com fé e paixão:

_”Eu quéro é vivê!!”

Big-Bang segundo o Paint…

Anúncios

O dia todo…

Posted in Humor/Nonsense/Coisa Inútil, Insanidade, Prolixidade, Tempo, Tudo with tags , , , on 18/03/2009 by reticencioso

Todo dia penso que o dia todo vai ser nada mais que um dia igual ao de todo dia…
E isso me faz lembrar que se o dia todo for igual todo dia, vou passar todo o tempo achando que dia todo é igual a todo dia o tempo todo…

__Ô moça, café quente e bolo gelado, por favor…

Vida…

Posted in Crise existencial, Divagação/Filosofia, Humor/Nonsense/Coisa Inútil, Prolixidade, Tudo with tags , , , , on 05/02/2009 by reticencioso

Então, dizem que a vida é uma peça, um teatro no palco do mundo mundano onde encenamos nossos gloriosos papéis realístico fantasiantes onde fazemos a vida criar fantasia, sentido, realidade, ou o que vier a cada persona…

Seja provindo da mais brilhante mente ascendente ou surgido da mais anojosa dos viegas ambulantes, estamos aqui abaixo desse adiamantado céu nos fazendo passar vezes por nós mesmos, ora por nós outros…

Pois, isso faz parte da mais barata analogia universal não análoga que compreende as banais circunstâncias anacrônicas da realidade não literalmente virtual, comprovando a suprema lei da não-relatividade…

Na mais axiomática verdade, estamos todos hibernando em alguma experiência em uma dimensão convergente e entubados pelos gorgomilos tendo nossas mentes manipuladas para acharmos que estamos vívidos e acordados nessa infeliz vida afeita….*

E todos somos looooooooooooooooooooooooooooucos!!!!!!!!!!!!!

Então então… isso explica tudo…

_Tenha um feliz dia após o outro!!!

*Um bom tema para um filme :) …. ¬¬

Perguntas…

Posted in Humor/Nonsense/Coisa Inútil, Insanidade, Prolixidade, Tudo with tags , , , on 30/09/2008 by reticencioso

E chega uma hora onde você se pergunta:
__Pra quem eu pergunto?
Aí você, vendo que não sabe a resposta, sabe que então nem deve se perguntar.
Mas aí, sabendo que já se perguntou, você se pergunta:
__O que é que eu queria saber mesmo?
Só então você percebe que nem você mais sabe o que queria saber.
Então pergunta-se:
__Mas porque eu queria saber algo sobre o que não me lembro?
E já se tratando de uma questão que você não lembra, e não mais de não lembrar de uma questão, você gira em círculos e pensa…
__Hmmm…
Então você esquece de se lembrar da questão esquecida e volta a pensar na questão que você se lembrou, tentando saber ainda se a questão em questão não é a que você queria lembrar, mas percebendo que se você não lembrou da questão ela ainda permanece esquecida, e você apenas se concentra pra não esquecer a questão ainda não esquecida. Mas não parecendo saber a resposta, você evita se perguntar, mesmo que já o tenha feito na hora de lembrar. Mas, se você lembrou, é porque estava esquecida, e a única coisa que você esqueceu nesses momentos, foi a pergunta ainda não lembrada, aí você para, pensa, e vai até a pessoa mais próxima e pergunta a pergunta não esquecida (não a não lembrada):
__Que horas são?
Aí após ouvir a resposta você logo novamente se pergunta:
__Porque eu queria saber isso?
Aí você pára e esquece tudo isso, ao lembrar onde deixou seu relógio…

Envolto

Posted in Prolixidade, Tudo with tags , on 01/05/2008 by reticencioso


Ultimamente tenho me sentido envolto por uma estranha sensação de estar me sentindo envolto por uma estranha sensação de não estar envolvido por nada…

E quando percebo que essa estranha sensação me envolve, vou descobrindo que tudo nada mais é do que a envoltura da impressão desconhecida que principia-se a surgir revelando-se como apenas uma desconhecida sensação estranha…