Arquivo para grou

Sonho que sonho só é sonho que sonho sozinho

Posted in Poemas, Tudo with tags , , on 01/07/2009 by reticencioso

A tarde foi que me lembrei,
De sonho louco que sonhei,
Nessa noite que passou.

Deitado em leve sono,
Em travesseiro de alpaca,
Minha mente se apagou.

E era eu um pássaro,
Magricela e tararaca,
Com as pernas de um grou.

E pousado me encontrava,
N’um banco de uma praça,
Quando a história começou…

Olhando pra calçada,
Tomando de um licor,
Aproxima-se um pássaro,
Que lembrava beija-flor.

Contou-me uma história,
Que de se rir piou,
Bateu as finas asas,
E pra longe se voou.

E o Sol caiu do céu,
E no horizonte se deitou,
A Lua se acendeu,
E a noite assim chegou.

Então brados ouvi longe,
De gente que chorava,
E cantava em triste tom.

Minhas penas se ouriçaram
Minha espinha se gelara,
E o medo me tomou.

Tentei voar pro alto,
Mas de terror que estava,
O meu corpo me deixou.

Era só uma cabeça,
De bico longo e de pena,
E só meus olhos se moviam,
Quando a Lua me chamou.

A lamúria ouvia alto,
Quando alguém se aproximou,
Pegou minha cabeça,
E pro alto então jogou.

Voei longe lá no céu,
Sentindo grande algor,
Mas à Lua não cheguei,
E minha rota declinou.

E foi caindo que avistei,
Uma euforia em dor,
Que cercava um certo corpo,
Sem cabeça e já sem cor.

Inundei-me de terror,
Pois as pessoas que choravam,
Do corpo as asas arrancavam,
Em intrínseco furor.

Os olhos pasmos eu fechei,
E tão logo que caí,
Do pesadelo despertei,
Com a agonia que findou.

E o sonho foi assim,
Mas não foi ainda o fim…

Ao acordar, lá na janela,
Como coisa do canhim,
Vi com graça e muita trela,
Um beija-flor rir-se de mim…

Anúncios