Arquivo para ansiedade

Tempo… O tempero da sopa da tia Josefina…

Posted in Humor/Nonsense/Coisa Inútil, Tempo, Tudo with tags , on 23/07/2009 by reticencioso

“_Afinal de contas tio, o que é o ‘tempo’?!”
Começo pedindo para o tio Aurélio…

“_Ah guri, te explico em dois tempos! Hoho!
Bem, nas sucessivas definições não definitivas, pode ser a sucessão dos anos, dos dias, das horas, etc., que envolve, para o homem, a noção de presente, passado e futuro… ou se preferir, é também o Inquice correspondente ao orixá Iroco dos nagôs! Hoho!!  Contas? Pequenas peças de vidro, plástico, madeira, etc., variegadas e miúdas, geralmente com orifício para serem postas em enfiada!!”


Aí foi que não lembrei se estava falando dos anos dos nagôs, ou dos dias sem noção do orifício do orixá da madeira enfiada…

Mas irei eu então divagar novamente sobre contas o tempo…

O que é o tempo senão um martírio cefalópode dos pusilânimes ansiosos por algo preso ao mesmo?

Esse aflitivo mal da ansiedade se apresenta sempre quando se está em conflito com o relógio, que parece andar pra trás fazendo um moonwalk em desfavor de alguma bem esperada situação posterior, e os segundos começam a martelar sua cabeça…

E é só quando se perde essa consciência do tempo, que o mesmo se torna praticamente invisível imperceptível, passando sem você notar, percebendo que já é hora de mandar aquele recado de feliz aniversário atrasado pra namorada…

“_Haaa, isso é fácil, não estar consciente de algo é o meu forte!”

Em certas ocasiões, como no trabalho na última semana antes das férias, na visita do mala que não vai embora, na fila pra pagar a conta atrasada da assinatura da Playboy, ou nos parabéns da festa de sua priminha de 5 anos antes de você querer que o mundo acabe quando te chamarem pra foto, as horas, os minutos, e até os segundos se tornam torturantes…

Enquanto que, claro, em um domingo de churrasco com os amigos, bebendo e comendo uma suculenta picanha gordurosa, nem se vê o tempo passar, esquecendo até do resto de pizza na geladeira que sobrou da sessão de filmes de antes de ontem… Êêêê dilema…

Pois é exatamente o contrário do que se deve fazer! Esquecer que o tempo existe nas horas de ansiedade, e viver cada minuto consciente nas horas de saudável lazer!

“Mas como, ó magnânimo mestre do tempo?”

Bom, eu, quando estou no trabalho por exemplo, penso que nunca, jamais irei sair de lá, como se estivesse preso pela eternidade escravizado por todo o sempre…

Aí como o tempo não faz diferença nenhuma, logo a labuta chega ao fim e vou pra casa feliz pensando “lá se foi mais um dia de eternidade”, sendo seguido pelo triste pensar de “amanhã tem mais, isso nunca acaba, estou preso pelo sistema condenado a nunca mais voltar, vivendo menos de 24 horas por semana, confinado na dura rotina do ganha pão, atormentado pela insônia e pelo cachorro chato do vizinho que parece que engoliu uma trombeta rachada, adjjlúúlálálálálááághssss!!”…

É… Não adianta… Ninguém foge do tempo… ele está aqui, sim! Ele vai me pegar e torturar pelo resto dos meus dias aaaaaahh!!!!! ffs…

Mas: Que não finde enquanto dure, posto que é chama que não se apaga… E se chama… Tempo… (Música de final de documentário científico).

Isso é…

Tripanossoma cruzis!!